quarta-feira, 30 de junho de 2010

Co-piloto que mora em mim



Você não se importa
e eu sofro, e eu penso...
Seria querer o impossível
ou ainda não é o momento?
(E cada dia que passa,
apenas maltrata, ainda mais).
Grande tormento que incentiva
e dá asas pra uma mente iludida
que ignora impossibilidades
e luta em vão nessa guerra de uma alma só.
Pura fantasia que,
não cabendo mais chamar assim,
passou a ter vida, força
mesmo depois do quase último suspiro
que quase trouxe o fim.
Possibilidade de um imaginário
que acrescenta e desmente
que os passos pra trás
estão se recolhendo ao passado.
E o adiantado da hora pede urgência
pede clareza, transparência
para que o amor não se torne dor
nem lembrança, nem castigo
pra esse coração que luta
não desiste, não cansa,
nem admite que já foi vencido.
Paralelo a isso eu vivo,
num paradoxo inteligível
sorrindo,
numa carapuça que subsiste
e aciona
o co-piloto que mora em mim

2 comentários:

loira26 disse...

Olá.
Adorei o seu blog e poesia.
Voltarei mais vezes.
beijos

val disse...

oi Jal conheço vc mar de poe.., adoro todos do mar, como vc, Jane, Anoldo, Ghey.. e todo o restant do grupo. CO-PILOTO Q MORA EM MIM. ADOREI ENCOTRAR PESSOAS Q PARECEM COMIGO. BJSSSS!!!