quarta-feira, 24 de março de 2010

Amor ausente



O silêncio fala
fala tanto que incomoda
porque não consigo fazê-lo calar?
Fica ecoando em meus ouvidos
em todos os meus sentidos
que não voltarei a te encontrar

Odeio pensar que compreendo o universo,
a harmonia e a ciência da paixão
mas não consigo ao menos traduzir
o significado dos teus ausentes versos
que tanto machucam meu coração

Me incomoda a falta de um simples "sim"
ou, de até mesmo, um tão temido "não"
machuca, machuca tanto
essa falta de definição

Onde ela esta?
Procuro tudo e não acho
(minha velha cartilha do amor)
ela que desprezei
quando enganada pensei
ter encontrado pra minha música
a melodia certa e o compasso

Hoje acordo desse sonho inocente
despenca em mim apenas esse amor ausente
que um dia pensei ser um conto de fadas
onde terminariamos como num filme
"Felizes para sempre"
e eu por ti pra sempre amada!

Um comentário:

ventosnaprimavera disse...

Oi Jal, vim ler um pouco aqui, até parece que não leio você,rsrs. Na verdade ler você é tão bom que podemos repetir sempre.Essa poesia é de uma profundidade enorme, gosto muito dela.Parabéns.Arnoldo Pimentel