quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Tuas palavras... um abismo!



Por ser toda ouvidos sofri
suas palavras me machucaram
me retalhando sem piedade
e a promessa de tornar realidade
aquele meu mundo encantado
hoje escorre entre meus dedos
fazendo adulta aquela criança
que ainda encontrava forças pra sorrir
Nem o castigo da surdez que não tenho
evitaria o entendimento do que ouvi
pois teu semblante nocivo
me traria por si só a compreensão
do que se passou naquele momento
Ficou dali registrado na memória
uma obra prima esculpida
pelas suas mãos de artista cruel
Eu, uma estátua,
parada no meio do nada
apenas processando
toda uma vida de encanto como mentira
sozinha, sem chance, em pedaços
evitando o abismo que se formou diante de mim
mas pular dali, um mal inevitável
esse seria o meu próximo passo...

2 comentários:

ventosnaprimavera disse...

Amiga, que poesia linda e forte essa, parece que saiu do âmago dos sentimentos.Parabéns

JANE FREITAS disse...

Jal você é uma poetisa maravilhosa
este foi o primeiro blog que conheci
fiquei encantada li todos seus poemas, de verdade. parabens este é especial..beijos amiga..